NO CENTENÁRIO DE EUGÉNIO DE ANDRADE

Foz do Porto, Portugal
Fotografia de Adri Marie

.

NO CENTENÁRIO DE EUGÉNIO DE ANDRADE

procurava o mar
como quem busca o som de um provérbio,
ou o frio de novembro
para do tempo se agasalhar no tempo

a imensidão da água
– o que quer que seja ela –
era o mais parecido que há
com a eternidade

seguia pelo areal com a crença
do peregrino
a quem faltassem motivos
para acreditar

às vezes percutia-lhe nos pés
uma concha náufraga,
quebrada,
moribunda

e havia nisto tudo
um sentido, uma dor infinita, uma metáfora:
alguém lhe dizia algo,
algo lhe mostrava alguém

19.01.2023
Advertisement

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s